Novas fronteiras do design contemporâneo

Exposição D.Day em Paris de 28/06 a 17/10/05

A exposição “D.Day", apresentada no Centro Georges Pompidou de Paris, de 29 de junho a 17 de outubro, mostra o design contemporâneo sob a forma de objetos que saem dos domínios do exclusivo com vistas ao bem-estar geral. Casebres para os sem-teto, panelas solares para os campos de refugiados, insólitos utensílios para cozinheiros de vanguarda, estão entre as peças expostas. A exposição explora os surpreendentes territórios do design contemporâneo, da ação humanitária às experiências sensoriais, sem perder de vista o imaginário tecnológico.

Victor Papanek foi na década de 60 o grande defensor do chamado design engajado, que confrontou os designers com suas responsabilidades políticas, sociais e ambientais.

Na exposição são apresentadas unidades residenciais, estranhos casebres feitos com material reciclado que, em nove metros quadrados, integram cama, cadeiras e estantes. Uma centena delas abrigará no ano que vem os sem-teto de Nova Iorque. A criação é do designer norte-americano Rafi Elbaz.

Valérie Guillaume, curadora da exposição, comenta: "panela solar ajuda a combater o desmatamento", e mostra o cooKit, em que as panelas são feitas com papelão dobrado, recobertos por folha de papel alumínio. Os recipientes aumentam a radiação térmica, e segundo os criadores permite melhorar a qualidade dos alimentos e da água consumida. O cookit foi usado nos campos de refugiados da Etiópia e do Quênia.

O designer suíço Luki Huber explorou o campo do paladar. Durante três anos Luki trabalhou com o chef espanhol Ferrán Adriá. Ele mostra um sistema em conta-gotas para o caviar ou o espaguete de queijo parmesão feito com um tubo de PVC disponível em farmácias.

Mas há uma curiosidade aguardando os visitantes, a junção de um velho aparelho de rádio-despertador ao joystick de um videogame, do designer britânico Roger Ibars. É um choque de gerações. Os visitantes devem marcar a hora de acordar usando o controle.

← voltar às notícias